Digite seu E-mail:

Assine o Feed

Humanos e Macacos compartilham até 98% DE DNA !

macaco-homem-dna-semelhanças

DNA e Comportamento entre Homens e Símios

Para Pablo Herreros é clara: nós somos macacos. Este sociólogo, antropólogo e fundador do blog 'Yo, mono' apresenta seu primeiro livro com o mesmo título, no qual ele explica como os seres humanos e macacos se parecem, do amor-á -rejeição que é sentida pelo outros, como a agressividade quando golpes são dados ou batendo para mostrar liderança.

E é que, segundo estudos, é o compartilhamento entre 95 e 98% do DNA com os macacos. Mas Herreros vai mais longe, além do material genético comum ", são analogias fascinantes em termos de comportamento, especialmente na vida social e na forma como processam informações" são explicados.

O escritor quer desmistificar algumas teorias incorretas. Por exemplo; que a evolução da espécie humana não é baseada na luta constante "e que se vê em muito documentários mais racionais, e que o homem evoluiu muito através da cooperação. "A lei da selva é um modelo falso", diz ele, "em grupos de primatas eles suportam os deficientes, os idosos. Há uma espécie de "lei de dependência" na selva ".

Herreros acrescenta como or exemplo que não foi ainda investigada e que entra neste fator é sobre a menopausa em mulheres, como sendo exclusivo somente seres humanos, é uma hipótese obtida é que "a menopausa existe para as avós poderem ajudar suas filhas no cuido suas netas ".

Sua paixão pelos macacos e sua relação com os seres humanos nasceram quase ao mesmo tempo que ele. Sua família era proprietária do jardim zoológico de Santillana del Mar, Cantabria, e ele sempre foi atraído á compreender o comportamento humano, "porque nós admiramos Messi ou Ronaldo ou o que nos faz sentir desconfortável com um vizinho no elevador" e ele explica que a psicologia ou a sociologia não conseguiu explicar. No entanto, "o comportamento dos animais e primatas me dera uma resposta", diz o autor.

evolução-homem

Então, Pablo Herreros confirma que "os chimpanzés são mais espertos do que os seres humanos em muitos aspectos", por exemplo, na memória visual. O autor sobre "experimentos feito com gorilas onde eles dão-lhe três segundos para memorizar uma tabela com números de 1 a 10 desordenada, ele foi capaz de apontar onde cada número foi definido. "Neste caso o homem em experiência não pode fazer isso", ele ri sociólogo.

"Os macacos podem ensinar aspectos que melhoram uma sociedade", diz Herreros. Por exemplo, a importância de manter um bom relacionamento para boas colaborações que surgem naturalmente quando necessário. "Você não pode dizer a alguém 'ame me' ou 'colabore comigo', mas a verdadeira ajuda vem de um bom relacionamento entre nós", acrescentando: "Devemos aprender com eles que o trabalho em equipe é sempre maior do que a soma das partes. "

bonobo-genes

Ancestral Comum

Recentemente cientistas terminaram de mapear o DNA do macaco bonobo, segundo pesquisa publicada na revista "Nature". Alguns pesquisadores dizem que isso pode, no futuro, revelar segredos sobre como o lado mais sombrio de nossa natureza evolutiva.

Trata-se do sequenciamento do último grande símio que restava analisar, já que o chimpanzé foi sequenciado em 2005, o orangotango, em 2011 e o gorila em 2012.

Os cientistas descobriram que estamos tão próximos geneticamente do bonobo, que é pacífico mas pouco conhecido, como do chimpanzé, mais violento e mais bem compreendido. É como se eles fossem irmãos, e nós, primos, relacionados aos dois igualmente, partilhando alguns traços apenas com os bonobos e outras características apenas com os chimpanzés.

Bonobos e chimpanzés

Bonobos fazem amor, não guerra. Já os chimpanzés matam e fazem guerra. Bonobos compartilham comida com estranhos, mas os chimpanzés, não. Bonobos ficam perto de suas mães - que, inclusive, escolhem os companheiros de seus filhos - muito depois da infância, assim como seres humanos. Mas os chimpanzés tendem a usar ferramentas melhor e a ter cérebros maiores, como os seres humanos, sugere a pesquisa.

Bonobos, chimpanzés e seres humanos compartilharam um único ancestral comum de cerca de 6 milhões de anos atrás, disse Prufer. Os chimpanzés e os bonobos partilham o mesmo ancestral comum até um milhão de anos atrás, quando o rio Congo se formou. Em seguida, os bonobos se desenvolveram de um lado do rio, e os chimpanzés de outro. Tornaram-se espécies diferentes, embora os cientistas não soubessem disso até cerca de 90 anos atrás.

"As cabeças dos bonobos são ligeiramente menores, e os seus dentes estão dispostos de forma diferente. No comportamento, os bonobos são muito mais tolerantes, mais sociais. Eles são excessivamente sexuais: em vez de liberar a tensão pela luta, eles se aninham repetidamente", disse Brian Hare, da Universidade Duke. "Bonobos são governados por mulheres alfa, e os chimpanzés, por machos", reitera.

De algumas maneiras - especialmente quando se olha para a fisiologia do cérebro - é como se um bonobo fosse um chimpanzé juvenil que não se desenvolveu, segundo Hare. "Os chimpanzés ficam mais violentos à medida que envelhecem; os bonobos não", afirma.

Fontes: Diversas


Postagens Relacionadas:

Metropolis Extraterrena (Anunnaki) com mais de 200.000 anos, encontrado na África

Cientistas encontram genes de extraterrestre em dna humano

Ser, Universalista !

0 comentários:
Postar um comentário

Fica-se aos leitores cientes de que algumas postagens, principalmente do Administrador, Valter J.Amorim, estão sujeitas á alterações ou atualizações, de informações !