Digite seu E-mail:

Assine o Feed

És Espírito do Santo ou Espírito Santo de Deus ?

Espiritos Santos de Deus

Já comentei sobre este assunto de forma limitada em outros artigos, no que tange em relação ao conceito da doutrina da trindade, tradicionalizada por muitas crenças cristãs, agora vamos fazer uma analise mais sintática em relação do significado deste termo “Espírito Santo”, tão comumente entendido de forma limitada por muitos cristãos, ampliando ainda mais o entendimento justo de como os primeiros cristãos na igreja primitiva entendiam isso e sua relação com a doutrina espírita e com as comunicações extra-corpóreas.

Espírito de Deus

O judaísmo como já explicamos, representou um chamamento da divindade ás almas semi-primitivas, para com a crença monoteísta. Crença está que foi um verdadeiro avanço civilizatório humano na época, quando a maioria dos povos se nutriam do politeísmo.

O Espirito de Deus

Um nova religião, más limitada, de acordo com o desenvolvimento humano da época, centrada em leis civis (Leis Mosaicas) e as divinas (Dez mandamentos), onde mais a afrente; poderiam receber uma doutrina mais espiritualizada, que representou nada mais do que o evangelho do Cristo.

Os judeus com o tempo formaram suas próprias ideias sobre espiritualidade e a transcendentalidade, como na cabala, mesmo assim, coisa que diferenciou-se ou muito dos conceitos da boa nova de Jesus.

No judaísmo não existe a referência do termo completo “Espírito Santo”. Eles sempre usam o contexto “Santo”, para se referir a Deus. Já na Graça segundo a visão de Jesus, todos aqueles seus seguidores fiéis são denominados também de Santos, como os anjos e assim por diante.

O Termo Espírito do Santo

Espiritos dos Santos Anjos

A palavra “KODESH” em hebraico significa: SANTO.

Já a palavra “RUACH”, significa ESPÍRITO ou SOPRO DIVÍNO.

No velho testamento (Tanak ) se usa: Ruach ha-Kadosh, que os judeus leem como: Espírito Santo ou Espírito de Deus !

A palavra “HA”, neste caso chamado de “preposição inseparável”, denominada assim porque aparece unida a palavras que a antecede.

No Novo testamento, foi usado a mesma forma hebraica; Ruach ha-kodesh, que na sua estrutura se lê:  Ruach (Espírito)  HaKodesh (DoSanto).

Portanto: o termo “Espírito Santo” latinizado sem a preposição “de”, e que se tradicionou no meio cristão, está errado e injusto em todas as bíblias cristãs., que segundo, nos dá outras opções; além da unânime referência a Deus, podendo referir á: Jesus, Anjos e os espíritos dos fiéis (santos), abrangendo todos os tempos pessoais, além do entendido apenas como 1ª Pessoa.

Espíritos Santos

Maria um Espirito Santo

Na obra “O Sublime Peregrino” do espírito Ramatis, Maria seria um “Espírito Santo” encarnado na terra, numa abordagem mais abrangente, na explicação do suposto nascimento sobrenatural de Jesus, que a igreja tomou como forma mística.

Na verdade; Jesus seria filho biológico de José e o termo usado em quase todas as bíblias quando se refere á: “gerado pelo espírito santo” está se referindo á Maria de Nazaré, por ela ser um espírito muito evoluído em seu tempo.

Vamos ver sua explicação:

“Maria não era criatura rude, presunçosa ou vaidosa, mas sim mulher terna, humilde, carinhosa e jovial... Avessa à crítica, à maldade e à ironia, era modesta no seu viver; a sua meiguice e o seu sorriso angélico tornavam-na capaz de atrair as mais puras amizades.”

“Maria, pela sua estirpe elevada, era um anjo descido dos céus, e, portanto, um "espírito santo", corroborando mais uma vez a predição da Bíblia. No seu corpo virginal e por obra do seu "espírito santo", gerou-se nela o corpo do Messias em cumprimento à profecia do Velho Testamento.”

Vivificados no Espírito

Espiritos Santos da igreja

E um fato é claro: os primeiros apóstolos estavam se comunicando com os espíritos dos mártires guias, instrutores e missionários elevados, desencarnados (mortos) que ajudavam a igreja do outro lado da vida.

Para se ter uma interpretação mais correta dos evangelhos, seria necessário o acesso a tais escritos em sua originalidade, más com base no descrito até aqui, podemos apenas especular em quais frases se encaixam a referência justa, no concerne a Deus, Jesus, Anjos ou Santos.

Por meio das  comunicações extra-corpóreas se instruia e se fazia milhares de maravilhas pelos fenômenos mediúnicos nas pentencostes, como no caso da “interpretação de linguas extranhas” e “curas”, por meio de encorporações e outros dons.

Vejam: As línguas estranhas das Igrejas Evangélicas Pentecostais

As comunicações com o mundo espiritual foram proibidas por Moisés, que desejava iniciar o povo primeiramente nos atributos monoteísta por suas disciplinas devotívas, para que num período mais afrente; pudessem usar novas liberdades com responsabilidades, que deveria ocorrer na época de Jesus.

Assim como Jesus fez com Elias e Moisés, que eram mortos segundo a carne, más vivos segundo o espírito, pois esta é a missão do evangelho de Jesus, salvação da alma, num estado (Ezequiel 18:27 e João 5:24) de “vida”, independente da situação do corpo físico, que é transitório no mundo físico e instrumento do aperfeiçoamento da alma, pelas experiências que ele propicia.

Seres Espirituais

Casa pai e o universos

Somo seres espirituais e esta sempre foi a razão do esclarecimento das três revelações aos homens; Pai (judaísmo), Filho (cristianismo) e Espírito (Espiritismo).

Tais almas que veem acompanhando desde os primórdios destas três fases, hoje; são os Santos, aperfeiçoados pelas experiências em diversas vidas; que os tornam mais experientes e amáveis para habitarem uma nova era.

Assim esta nova era; é o símbolo da pureza e amor fraternal cristão, que acolherá todas as almas propícias a verdadeira fraternidade e sua negação, resume o símbolo da tal blasfêmia contra o espírito santo (Mateus 12:32).

Pois na era cristã; muitos negaram os ensinamentos de Jesus (filho), más nesta nova (espírito), não serão mais aceito repetentes ou blasfemadores das verdades eternas (amor universal), tendo que por lei da evolução abandonarem o planeta numa “nova queda” para outras moradas do pai.

Assim cumpre o espiritismo como seu destino de consolador, dando um entendimento correto sobre nossas origens espirituais, explicando que não existe castigo divino, pois Deus dá segundo o que busca cada  consciência em si, para que possamos ascender á outras moradas melhores do pai ou ainda piores, más sempre no seio do criador.

Autor: Valter J.Amorim (Aquárius 2036)


Postagens Relacionadas:

A Bíblia e a Vida Após a Morte - Como Negar as Evidências ?

Você sabia que a Ressurreição dos Mortos do Último dia já ocorreu ?

A Grande Transição Planetária e o Espiritismo

Os 144 mil Selados do Apocalipse e a Israel de Deus

0 comentários:
Postar um comentário

Fica-se aos leitores cientes de que algumas postagens, principalmente do Administrador, Valter J.Amorim, estão sujeitas á alterações ou atualizações, de informações !