Digite seu E-mail:

Assine o Feed

Deuses Egípcios vieram das Estrelas

deuses-egipcios-vieram-do-céu

O Egito foi, é e sempre será uma fonte inesgotável de surpresas. Mas o mais incrível é que as suas conquistas intelectuais e realizações tecnológicas não eram uma evolução social, mas da noite pro dia veio do nada surpreendente cultura, onde técnicas tão incríveis não puderam serem superadas posteriormente.

O conhecimento preciso de astronomia e engenharia utilizadas para mover e posicionar milhões de monólitos grandes de pedras, instrumentos ópticos e medidas necessária para estes feitos nunca apareceram e como entender a farmacopeia, medicina, biologia e ferramentas para perfuração e corte de pedras extremamente difíceis ?

Isso foi feito no início de Egito, por esses primeiros colonizadores das margens do Nilo, com uma precisão que tempos depois foi esquecido. Parece que suas maiores conquistas tecnológicas vêm do período pré-dinástico, como se a civilização faraônica fosse herdeira de uma cultura ou recebeu isso diretamente de tais deuses anteriores. E não em alguns deuses abstratos, mas no óbvio de suas presenças, que não podem ser ignoradas na avaliação dos mistérios do Egito.

Os Elos Perdidos do antigo Egito

deuses-aliens-de-atlantida

Heródoto, por base de informações e contato direto com sacerdotes egípcios, comentou que o tempo decorrido desde o início da civilização faraônica para aqueles dias (490/431 aC) foi exatamente 11.340 anos.

Estes 11 mil anos são muito tempo para ser aceito pelos historiadores oficiais e nos imerge em um tempo escuro de um período histórico ainda não reconhecida por escrito, na qual o Egito foi o cenário em que ele disse: habitado pelos deuses”.

Em suas Histórias, livro II, escreve: "... Eu ainda não tinha aparecido deuses no passado do Egito, mas o sol tinha aumentado quatro vezes no céu a partir de diferentes pontos da corrente, e duas vezes ele tinha ido por onde este recebe, e onde ele havia se colocado para fora agora ... "

O texto de Heródoto nos diz várias coisas. Primeiro, o conhecimento desconcertante dos sacerdotes egípcios da existência dos quatro grandes cataclismos que o nosso planeta sofreu nos últimos 600 mil anos e foram endossados ​​por estudos do pesquisador Juan Bonet, recolhidos em seu livro "The Twist earth ". O último, aconteceu cerca de 13.000 anos atrás. Veio à Quarta Idade do Gelo e é o argumento utilizado por alguns autores para justificar o afundamento da Atlântida, a última parada de seus habitantes e sua nova migração para o vale do Nilo em datas aproximadas ao início da cultura egípcia referida pelos sacerdotes.

12-mil-anos-atlantes-egipcios

Mas segundo depois Heródoto escreve que estes cataclismos, ou seja, depois de 12 mil anos atrás, os deuses aparecem. Esta história tem despertado a curiosidade de muitos estudiosos, simplificando, estes tomaram duas linhas de pesquisa para justificar que os egípcios herdaram seu conhecimento e seus monumentos. Por um lado, os seguidores da teoria da Atlântida e, por outro, aqueles que promulgaram a hipótese da chegada em nosso planeta de seres espaciais. E a última opção é que Atlântida tinha tecnologia suficiente, assim não teriam esperaram 7000 anos para o Egito se desenvolver como nós o conhecemos.

Por isso se diz do aparecimento quase de instantâneo no Egito de uma cultura tecnologicamente avançadíssima só podia ser o resultado de um ponto de contato com seres extraterrestres. Embora, considerando os dois ponto de vista de uma só vez, se poderia tais respostas.

Os conceitos cósmicos e terreno, em todos os textos sagrados da miscigenações principais destas religiões, o Egito tem todos os tipos de conotações. Além das lendas e tradições, monumentos que permanecem apontando para um céu em direção muito definida indicando alienígenas hipotéticos que vieram de viagem marcando a história desta civilização com suas chegada.

Como acima, assim abaixo

deus-toth-hermes

A característica distintiva da religião egípcia com outras religiões é que podemos defini-la como a única que conhece o lugar de onde seus deuses vieram e seus destinos interestelares de suas almas após a morte. Esta informação é muito importante, porque quando Jesus sobe ao céu não indica seu planeta, sistema solar, ou constelação para onde está indo. Quando oramos o Pai Nosso é dito: “o Pai está no céu”, mas sem especificar qual das milhões de galáxias que existem. No entanto, os egípcios eram claros: os seus vieram além do Duat, a parte estelar onde fica a constelação do caçador (Orion) e The Dog (Cão Maior).

Toda a cultura egípcia foi baseado no princípio: "assim acima, como á abaixo", refletido no livro do deus Toth, (foto acima), dos quais apenas há referências, e, possivelmente, de acordo com alguns especialistas, foi o inspirador da Tabela Emeralda, mais tarde helenizada, transfigurado este deus como Hermes Trismegisto. Mas este conceito não era apenas virtual, há indícios suficientes para ver que tudo desenvolvido no país do Nilo, incluindo sua região, seria a realização em nosso planeta de um projeto desenvolvido por esses deuses viajantes.

Piramides-relação-Estrelas-o-caçador

Ambas as fotografias da África Oriental, que pode ser visto no site da NASA, bem como estudos de Andrew Tomas, chega-se a conclusão na hipótese de que o Nilo não é um rio natural, é um jovem canal, feito artificialmente para água seguir o curso atual. Esta perturbação geográfica explicaria a desertificação do Saara, e as bacias dos rios que já habitaram o centro do continente e aparecem completamente seco hoje.

Egito-sirius-cão-maior

Com este trabalho de engenharia, teria chegado o rio á refletir na terra, a Via Láctea que cruza o céu. Obtendo todas as estrelas que compõem o Duat (lado da Via Láctea), na margem oeste as construções das pirâmides monumentais do Nilo, que servem para sinalizar a nossa posição em relação á estas estrelas. Assim, as estrelas que formam a constelação do Caçador foram representadas no Egito, correspondentes aos três estrelas do cinturão de Orion: Nitak, Al Nitam e Mintaka, na mesmas posições das três grandes pirâmides do planalto de Gizé, como Robert Bauval desenvolveu em seu livro conhecido: “O Mistério Orion”.

Hoje, fala-se muito no desvio do rio São Francisco para abastecer outras regiões, más um tipo de obra como esta; “faraônica” não é nova, e já no antigo Egito, foram  o que indica perpetrada pelos deuses que vieram dos céus, moldando toda uma região, para seguir um padrão astronômico complexo. Tendo não só o solo aplanado por tal tecnologia, para suportar tais pirâmides, bem como um canal artificial para regar essa futura mega-civilização dos faráos.

Esse tema ficará de esboço e em aberto para outras conclusões mais tarde em outros posts, abração e paz a todos !

Autor: Valter J.Amorim (Aquárius 2036)


Postagens Relacionadas:

Os Egípcios não Construíram as Pirâmides ! (Provas e Evidências Alienígenas)

Algo não deste mundo dentro das Pirâmides Egípcias !

O Mistério Transcendental das Pirâmides do Egito

0 comentários:
Postar um comentário

Fica-se aos leitores cientes de que algumas postagens, principalmente do Administrador, Valter J.Amorim, estão sujeitas á alterações ou atualizações, de informações !