Digite seu E-mail:

Assine o Feed

Os Últimos dias e o que diz a Bíblia realmente

(Post: de 11/10/11 – Atualizado)

ultimos-dias-biblia

Os Últimos dias e a Bíblia

Estaria mesma a bíblia nos informando de modo profético o fim de todas as coisas, ou como popularmente muitos conhecem os últimos dias do mundo?

A tradição cristã sempre se pôs a investigar estes fatos pelo estudo das escrituras, o livro de Apocalipse, sempre foi o mais temível sobre o ponto de vista literal, os próprios pais da igreja se questionaram a debater sobre este assunto, em vários concílios, pois segundo as profecias segundo os profetas antigos, Jesus e os novos apóstolos já deveria ter ocorrido estes últimos dias profetizado pela bíblia.

“Aquilo que é, já existia, e aquilo que há de ser, já existiu; Deus chama de novo o que passou.” (Eclesiaste: 3:15)

- Quando se depararam com estas questões, procuraram ver então o cumprimento de certas colocações no futuro, onde apesar de várias decepções no passado, continuamos em novos episódios de novas teoria futurista daquilo, que talvez não devesse ser entendido na forma real como sempre foi.

E ainda hoje quando se fala em “últimos dias” ou “naqueles dias”, no mundo cristão, 90% dos cristãos, sempre levam estás palavras como sinônimas de fim do mundo e de todas as coisas !

A Mística Popular do Apocalipse

A Bíblia, tanto no velho e novo testamento não fornece datas específicas para um dia em especial  relacionado á uma catástrofe global. Nem o próprio livro de Apocalipse não se refere á um fim radical, dando consequência á uma improdutividade terrena em todos os aspectos, pois somente se refere ao julgamento coletivo por Jesus o cordeiro de Deus e depois disso, um novo céu e nova terra.

fim-dos-dias

Esta confusão se faz por muitos ligarem os livros dos evangelhos, mais algumas profecias do velho testamento ao livro de apocalipse.

E segundo a visão popular até a própria ressurreição dos mortos se daria antes deste últimos dias do planeta.

Como as grandes partes dos teólogos religiosos não se basearam na história e nos símbolos como braço de apoio ao estudo dos textos antigos, não conseguiram entender na realidade certas colocações.

Pois na lógica a bíblia retrata fim de períodos, épocas e ciclos, onde muitos fatos hoje relacionados a profecias futuristas que muitos creêm, na realidade já ocorreram, pois o fim previsto nas escrituras do velho testamento, não é o mesmo que se refere ao livro de apocalipse.

Um fim do Mundo bíblico

Exilio-babilonia-fim-do-dias

O profeta Ezequiel que viveu entre os anos 593 a 571 AC, profetizou a segunda e final invasão babilônica sobre Israel, cujo povo seria mais disperso ainda pelas nações estrangeiras. A cidade se tornando quase deserta simbolizando um dos últimos dias temporal desta nação.

“E tu, ó filho do homem, assim diz o Senhor DEUS acerca da terra de Israel: Vem o fim, o fim vem sobre os quatro cantos da terra.” (Ez 7:2)

- Jerusalém e Judá se contaminaram com a corrupção pagã, mesmo depois de sua punição dada por DEUS (Jeremias 25:9), e segundo as palavras de DEUS, esta nação deveria ser mais ainda desolada (Ez 24:21).

Então este fim ocorre em 587 a.C. com a destruição de Jerusalém e seu Templo. Ou seja, á um lugar circunscrito “Jerusalém e as terras de Judá ”, e num contexto temporal, pois segundo as profecias, Deus reuniria esta nação novamente, como uma última chance num futuro “últimos dias”.

O profeta Zacarias que viveu tempos depois de Ezequiel entre os anos (520 A.C.), em uma de suas citações do seu livro se diz: “ Ainda que os espalhei por entre os povos, …. e voltarão.” (Zc 10:9), Ou seja esta dispersão mencionado era aquela que os judeus já vivenciavam na época do profeta, pois muitos acreditam que este êxodo citado por Ezequiel é o ROMANO, que ocorreu depois da vinda do Messias (Jesus) e que durou mais ou menos 2 mil anos.

Esse é um exemplo de passagens que muitos leem e acreditam estar se referindo ao futuro, sem levar em conta os fatos históricos e as referências temporais.

Os Últimos Dias em Cristo

jesus-últimos-dias

Sabendo-se que a nação Judia representava a primeira síntese das revelações: (Pai, Filho e Espírito Santo), com um legado de quase dois mil anos de progresso, necessitava-se a humanidade de uma nova revelação (filho) e Jesus veio simplesmente para isso, trazer uma nova visão espiritual, e é claro que uma grande maioria não estava apta a entender isso.

No livro de Daniel, se referia á estes dias finais, não somente Daniel, mais Jeremias, Malaquias, Joel e outros profetas referiram também a “estes dias” ou o fim do período sob a edge de Mosaica .

Estes dias finais ou últimos dias se concretizaram entre o nascimento de Jesus e a expulsão dos judeus de suas terras, entre os anos 70 e 135 dc, dias onde operariam a justiça divina ou ajustes cármicos coletivos.

É só analizarmos:

"Havendo Deus antigamente falado muitas vezes…, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,..” (Hebreus 1:1 )

- Ora aqui é o apostolo Paulo, que fala isto, e declara: nos falou nestes últimos dias, ou seja: segundo ele, eles já viviam aqueles dias finais.

“Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, E as escreverei em seus entendimentos..”  (Hebreus 10:15-16)

- Ora aqui Paulo se refere á uma profecia descrita no velho testamento que previa á nova aliança, justamente depois daqueles dias, dias este referente a redenção de Israel pela vinda de Jesus.

“Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:

E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, Os vossos jovens terão visões, E os vossos velhos terão sonhos; E também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão.” (Atos 2:15ao18)

- Nesta passagem de Atos, Na época de pentecoste Pedro responde a indagação mal interpretada de seus contemporâneos pelos fenômenos espirituais que viam.

- Se havia dúvida, aqui não há como negar, que estes últimos dias de que falavam tanto os profetas do antigo testamento representava aquela época que estavam vivendo os evangelistas e eles mesmos confirmaram isto.

A Ressurreição dos Mortos no Último dia

ressurreição-mortos-biblia

Segundo a tradição judaica e cristã, a ressurreição dos mortos se dariam antes dos últimos dias, Segundo as profecias de DANIEL (Dn 12:02), e as do profeta EZEQUIEL que é bem mais nítida.

Sobre influência da vidência (visão), Ezequiel vê um vale cheio de ossos secos (Ez 37:01), e segundo as palavras de DEUS, pertenciam todos á nação judaica (Ez 37:11).

Mais segundo o Senhor eles seriam ressuscitados, e levados de volta a sua terra (Ez 37:12), nos últimos dias (Ez 38:8 e 16), é quando Jerusalém habitaria segura (Ez 38:8 e16) e lembrando que segundo época destas profecias, os judeus já estavam dispersos entre os povos pagãos.

E mais adiante no ver: (Ez 37:26), temos um fato esclarecedor, em que a teologia não levou em conta:

“E farei com eles uma aliança de paz; e será uma aliança perpétua. E os estabelecerei, e os multiplicarei, e porei o meu santuário no meio deles para sempre.” (Ez 37:26)

- Aqui temos uma afirmação positiva, sobre a época desta ressurreição coletiva, pois Deus ressuscitaria estes mortos, e os levariam de volta á sua terra, e depois firmaria uma nova aliança de paz, aliança esta justamente a que Jesus veio trazer.

Segundo o livro de Ezequiel 4:5 e 6, Deus determina, a quantidade de anos para expiar os pecados de Jerusalém e Judá, segundo o simbolismo bíblico, que utiliza dias como anos, é designado em 390+40= 430 anos.

Que se dá em 163 ac, exatamente na época em que ocorre a revolta dos macabeus, onde os judeus com esta revolta reconquistam sua supremacia política e religiosa e quando uma boa parte deles já haviam retornados as suas terras.

Mais está reunião só seria completa espiritualmente, com a vinda do Messias, pois assim foi descrito pelos evangelistas:

“E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos.” (João 11:52)

- Lembrando que a mentalidade cristã, representava a vida, e todos que se afinaram com esta nova revelação, passavam da morte para vida como ensinou Jesus (João 5:24), então aqui temos um ressurreição simbólica, mais não deixamos de levar em conta que esta ressurreição também foi literal, pois o texto era claro sobre a visão de ossos secos num vale, se referindo a geração desencarnada da época babilônica.

O Grande dia do Senhor

grande-dia-do-senhor

O que seria o Grande dia do Senhor ?

Tudo que indicava segundo as profecias, seria um dia de punição, destinados á nação de Israel e ás terras pagãs ao redor .

No livro de AMOS do velho testamento se dizia:

"Ai daqueles que desejam o dia do SENHOR! Para que quereis vós este dia do SENHOR? Será de trevas e não de luz." (Amós 5:18).

- No livro de MALAQUIAS (ML 04:05), temos outra referência ameaçadora. Pois Deus enviaria o profeta ELIAS (João Batista), como o anjo do concerto (nova aliança), para preparar o caminho do ungido (Jesus), antes deste terrível dia.

Um destes dias foi a época da Grande Tribulação (Abominação desoladora), onde Jerusalém foi subjugada pela nação romana no ano 70, mais segundo o que Deus tinha determinado para Jerusalém não deveria ser bem assim.

Vamos agora analisar ZACARIAS 12, tão comentado hoje no mundo cristão, onde muitos acreditam ser uma referência ao futuro, ou seja: um complemento ao livro de APOCALIPSE.

“E acontecerá naquele dia que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos, todos os que a carregarem certamente serão despedaçados” (Zacarias 12:3).

- Baseando-se na essência das profecias, que sempre será dependente, do livre arbítrio dos homens. Fatores este que muitos não levarão em conta.

Na lógica Jerusalém seria mesmo uma pedra pesada para todos os povos, mais somente se eles em grande parte aceitassem Jesus e seus ensinos, é só analisarmos :

"…..A pedra, que os edificadores reprovaram", Essa foi feita cabeça da esquina. Qualquer que cair sobre aquela pedra ficará em pedaços, e aquele sobre quem ela cair será feito em pó.” (Lucas 20:17-18).

- E Paulo um dos evangelista no futuro afirmou:

"Ele (JESUS) é a pedra que foi rejeitada por vós (judeus), os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina." (Atos 4:11).

Portanto a Jerusalém a que se refere ZACARIAS 12, após a transição ou os últimos dias de Israel é somente a JERUSALÉM celestial, o centro das atenções divinas, o verdadeiro relógio de Deus aqui na terra.

Sinais no céu e na Terra ?

sinais-céus-e-na-terra

Segundo a visão de muitos, os últimos dias seriam acompanhados de sinais de ordens astronômicas, que se daria em meio ao clima destruidor vistos por muitos aqui da terra.

Vamos analisar uma destas passagens:

"E logo depois da tribulação daqueles dias, escurecer-se-á o sol, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potestades do céu serão abaladas.” (Mateus 24 :27)

- Na verdade esta frase era apenas um simbolismo da VISITAÇÃO do Senhor á uma NAÇÃO CORRUPTA e degenerada, vamos analisar o oráculo feito contra o EGITO.

" E, apagando-te eu, cobrirei os céus, e enegrecerei as suas estrelas; ao sol encobrirei com uma nuvem, e a lua não fará resplandecer a sua luz.

“Toda a brilhante luz do céu enegrecerá sobre ti, e trarei trevas sobre a tua terra, diz o Senhor DEUS.” (EZEQUIEL 32:7e8). ver também (Joel 2:10 e 11) mais (Malaquias 3:2).

- E sabemos que esta justiça divina se derramou em Jerusalém entre o ano 70 e 135, através da nação romana, com Deus utilizou o povo babilônico também da mesma forma, ver: (Jeremias 25:9).

Finais Cíclicos Periódicos

profecias-ciclicas

Sabendo-se que tudo no universo é cíclico, podemos entender que estes dias finais do passado se repetirão, mais não de forma tão idêntica, mais sobre formas mais extensas e adversas.

Para que possamos prever o futuro, temos que entender o passado, para entender esta nova GRANDE TRIBULAÇÃO, temos que entender aquela passada, em todos os seus aspectos, por exemplo:

Segundo a visão mal entendida dos apóstolos, a segunda vinda de Jesus, que seria naquela época, não ocorreu na forma literal como muitos imaginavam, pois a volta do SENHOR se deu simbolicamente, representando um REAJUSTE KARMICO COLETIVO como muitos entendem. Sobre a nação judaica principalmente, pois Jesus afirmou:

“….e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.” (Mateus 24:30)

- Sobre o ponto de vista das profecias antigas do velho testamento, vir sobre as nuvens representava a visitação do SENHOR. Pois era assim simbolicamente que o Senhor se apresentava ao seu povo, sempre entre ou sobre as nuvens, (ver deutoronômios 33:26) ou seja a vinda de sua glória à uma nação em forma de castigo, pois foi assim também descrito contra o EGITO:

“Peso do Egito. Eis que o SENHOR vem cavalgando numa nuvem ligeira, e entrará no Egito; e os ídolos do Egito estremecerão diante dele…” (Isaías 19:1)

- Ora, se naquele tempo a degeneração religiosa se encontrava dentro de um lugar circunscrito “Jerusalém e as terras de Judá”, e agora neste novo ciclo ?

A corrupção e degeneração espiritual se espalhou a todo o planeta, será que o SENHOR, usará um exercito como fez com ROMA, para operar sua justiça neste novos últimos dias ?

Sem compreender os símbolos, ficamos presos ao misticismo, coisa que não era assim talvez na igreja primitiva, para aqueles que tinha os olhos para ver, e estavam familiarizados com os símbolos bíblicos, assim como o filósofo Judeu Fílon de Alexandria, contemporâneo de Jesus, que argumentou que o corpo é uma coisa morta e um "conspirador contra a alma", e que a doutrina da ressurreição é secundária à da imortalidade da alma, e que no fundo o conceito de ressurreição não passa de uma maneira figurada de representar a verdadeira imortalidade espiritual.

Modernamente, certas versões atuais do Judaísmo negam a crença na ressurreição a favor da doutrina da simples imortalidade, ou seja, afirmam que a ressurreição não deve ser tomada literalmente mas simbolicamente.

E que na lógica, não deixa de ser ser uma grande verdade !

Autor: Valter J.Amorim (Aquárius)

--------

(Obs: O blog tem por finalidade apenas a divulgação e compartilhar informações, que como estas são estudadas, pesquisadas e analisadas sob horas de persistência e tempos dedicados, se alguém deseja compartilhar a postagens, apenas por razão de ética, que seja descrito o nome do autor, e que Deus sempre nos inspire, para que com uma comunhão mais fraterna de pensamentos, sempre possamos entender a verdade.)


Postagens Relacionadas:

A Grande Tribulação e o Fim de um Mundo

Os 144 mil remidos no Monte Sião e a Israel Espiritual

A Visão Espírita Sobre a Besta do Apocalipse

As Ressurreições dos Últimos Dias

A Reencarnação no Judaísmo

1 comentários:
  1. Nós filhos de Deus seremos libertos da escravidão desse sistema, passaremos pelo Armagedom e voltaremos ao jardim do Eden, assim como o povo de Deus foi liberto da escravidão do Egito passou 40 anos no deserto pra "voltar" para terra prometida de Canaã. Só o toco de Jessé e outros poucos restarão.

    ResponderExcluir

Fica-se aos leitores cientes de que algumas postagens, principalmente do Administrador, Valter J.Amorim, estão sujeitas á alterações ou atualizações, de informações !