Digite seu E-mail:

Assine o Feed

A Bíblia e a Vida Após a Morte - Como Negar as Evidências ?

vida apos morte biblia

A Bíblia e a Vida Após a Morte

Hoje a maioria das religiões cristãs, procuram a todo custo barrar a ideologia do estudo á seus fiéis, sobre o principio da vida após a morte e da própria imortalidade da alma.

Mais para se afirmar categoricamente que algo não existe, tomando como base um dado confiável, que para muitos é a própria palavra de Deus, como no caso da “bíblia”. Ou prova-se afirmando de forma lógica, ou manipula-se os textos, ou se equivoca nas interpretações, e é nesta  terceira opção é que acreditamos estarem enganadas muitas religiões. Se o nosso compromisso é com a verdade, com o Evangelho e com ética dos principios cristãos.

A Vida Pós Morte

O principio da imortalidade da alma, define que a alma não morre após a morte do corpo, ela sobrevive e por este principio, o espírito passa a viver em outra dimensão, possuindo idéias, vontades, sentimento e outras mais tão naturais de cada ser.

Nossos contraditores negam esta possibilidade, definindo apenas uma vida inconsciente pós morte, em um estado letárgico profundo chamado de “SONO”.

Alguns chegam ao ponto de confundir, este principio com o da ”eternidade da alma”, que só pertence a Deus, e por mais que tenhamos uma alma imortal, tivemos um principio ou seja; fomos criados por Deus, enquanto ele, não teve principio e não foi criado por ninguém.

Isaías 14 e o Rei Babilônico

Hiram-rei-babillônia

Isaias 14, é um texto em que a maioria das religiões cristãs, interpretaram como “Lúcifer”, fazendo uma referência a queda deste espírito rebelde como suas legiões.

Este texto na verdade faz um referência histórica e simbólica á um REI Babilônico, e nem mesmo os judeus acreditam que Isaías faça referência ao Diabo.

O texto que é uma profecia prevê o fim de poderes temporais humanos, que sempre se opõem e violam os padrões morais das leis Divinas.

E sobre sua futura queda a profecia afirmava:

“Debaixo da terra se agita a morada dos mortos, para receber-te à tua chegada; despertam em tua honra as sombras dos grandes, e todos os senhores da terra, e levantam-se de seus tronos todos os reis das nações.

Todos tomam a palavra para dizer-te: Finalmente, eis-te fraco como nós, eis-te semelhante a nós.”(Isaías 14:9-11)

- Nesta passagem faz-se uma referência de sua chegada no mundo dos espíritos, onde uma comitiva de antigos soberanos que veêm ao seu encontro.

Quando vemos a referência “levanta-se de seus tronos”, temos uma descrição dos reino, cidades e nações que existem no plano astral, e que a doutrina espírita revela em muitas de suas obras.

O Rico e Lázaro

seio-de-abraao

Nesta parábola, temos a referência de dois personagens que após a morte seguiram caminhos diferentes por conseqüências de suas escolhas em vidas.

Um rico com uma vida de farturas, egoísmo e opulências. E o pobre Lázaro, mendigando por um pouco de comida envolta de feridas pelo corpo. (Lucas 16:21)

- Mais os evangelhos afirmaram que Lázaro morreu assim como o rico.

'’E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. “ (Lucas 16:22-24)

- A história faz também uma referência a uma vida pós morte do espírito, e por mais que a teologia atual negue esta interpretação, afirmando que se tratando de parábola não se pode ser levada com realista no sentido da metodologia cristã, mais já em Isaías 14 não se pode afirmar o mesmo, e sobre um ponto de vista racional e casualista. Podemos afirmar; que tanto o velho e o novo testamento pregam sim a ideia da vida pós morte do espírito.

Desencarnar ou Dormir

vida-apos-morte-desencarne

Se positivamente a biblia fala de sono após a morte, ela também como contrapartida afirma outra idéia.

“.. certo jovem, por nome Êutico…., caiu do terceiro andar,…e foi levantado morto. Paulo,..inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, que a sua alma nele está. (Atos 20:9-10)

“e clamou (Elías)ao SENHOR, e disse: O SENHOR meu Deus, rogo-te que a alma deste menino torne a entrar nele.” (1 Reis 17:21)

“E aconteceu que, saindo-se-lhe a alma (porque morreu), chamou-lhe Benoni; mas seu pai chamou-lhe Benjamim.” (Gênesis 35:18)

- Como vemos se a bíblia deve ser considerada como a palavra de Deus, porque acreditar que a alma após a morte adormece na sepultura junto com seus restos mortais sendo que temos segundos estes trechos outras possibilidades ?

O Espírito de Jesus

Espírito-de-Jesus

“E aconteceu que, …quando orava no templo, fui arrebatado para fora de mim. E vi aquele que me dizia: Dá-te pressa e sai apressadamente de Jerusalém; porque não receberão o teu testemunho acerca de mim.” (Atos 22:17e18)

- Nesta passagem Paulo só consegue ver Jesus, após ser retirado para fora de seu corpo, fenômeno conhecido por desdobramento astral, ou arrebatamento de espírito, como alguns denominam.

Isso porque Paulo estando em espírito, poderia vê-lo assim como todo mundo astral, possivelmente porque Paulo não possuía o dom da “vidência”, onde alguns vivos conseguem ver os espíritos.

Mais a saída do corpo, sim, Paulo possuía esse dom, como é visto em muitas passagens das cartas, como por exemplo; (2 Coríntios 12:3) (2 Coríntios 5:8e9) e(Colossenses 2:5).

Portanto se Jesus na sua ascensão subiu aos céus em corpo físico e visto por muitos, só poderia ser num corpo materializado, fenômeno espiritual possivel de ser realizado á um espírito, comprovado e analizado, em muitos estudos de Allan Kardec.

E biblicamente comprovando a indepedência da vida do espírito, perante ao corpo físico, fenômeno tão comum realizado, durante a vígilia (sono).

Os Espíritos dos Santos

Espiritos-Santos

Por mais que os modernos insistam ainda a pregar a imortalidade da carne, pelo dogma do arrebatamento de corpos, podemos afirmar categoricamente que os cristãos da época de Paulo acreditavam na própria sobrevivência e independência da vida do espírito perante a carne.

“Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor. Pois que muito desejamos também ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes.” (2 Coríntios 5:8-9)

- O texto é claro, abandonar o corpo, ou seja; desencarnar pela morte do corpo físico, e sendo agradáveis quer presentes ou ausente que é claro, do “corpo”. Ou seja, eles acreditavam sim numa continuidade de suas vidas, pela sobrevivência de seus espírito, após a morte do corpo, continuando suas missões do outro lado da vida.

O Vazio do Seio de Abraão

ascensao-ceus-cativeiro

As maiorias das religiões cristãs protestantes acreditam que Jesus após seu sacrificio, teria descido ao Seio de Abrão, em local próximo ao “inferno”, e resgatado os espíritos dos santos do velho testamento.

Por esta passagem:

“Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, E deu dons aos homens.” (Efésios 4:8)

- Esta passagem não possui sentido contextual e simbólico afirmando que o cativeiro signifique um local espiritual conhecido como o ”seio de Abraão”.

- Cativeiro significa estar preso, escravizado. Coisa que simbolicamente representava a “LEI” a qual Jesus aboliu, representado pelas tradições humanas e ritualísticas do judaísmo.

“Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres?” (João 8:33)

“E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.” (Romanos 6:18)

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,” (1 Pedro 1:18)

Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão.”(Gálatas 5:1)

- Como vemos o cativeiro espiritual a qual Paulo se referiu não tem nada a ver com o suposto seio de Abraão, portanto ainda é e não está vazio como muitos querem, e recebendo almas como sempre foi, se tratando de uma e como de várias colonias espirituais que existem no astral.

Obs: No judaísmo a crença da permanência destes espíritos neste local, se limita até o dia do julgamento final nos últimos dias, mais como já provamos estes últimos dias já ocorreram e após cristo só inicia-se uma nova fase. (grifo meu) ver: “Os Últimos dias e o que diz a Bíblia realmente !

3º- Esta suposta interpretação errônea seria uma forma também de desqualificar qualquer ligação com o espiritismo e aos estudos espiritualistas, pois estando vazio este lugar de estadia dos espíritos, e os espiritos dormindo, não seria possível a comunicação de espíritos com os homens, dogmatizando que estas interações, somente são possíveis com entidades demoniacas.

espiritos-e-jesus

- Portanto, negar a sobrevivência da alma após a morte, é negar a própria bíblia e a tradição cristã, independente de como cada qual vê e interpreta este local estacionário.

As provas são muitas, as possibilidades são bastantes, portanto definir um dogma absoluto cristão em especial com aquilo que não esta acessível a visão humana, é uma ilusão e apenas uma prova da prepotência humana, que se julga Deus em muitos casos.

Pois como afirmou Paulo:

“Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.”(Coríntios 2:9)

- Um judeu afirmou, que grande parte dos judeus acreditam na vida pós morte, mais, a preocupação e interatividade do homem sem por cento ao mundo, lhes impossibilitar compreender ou tentar aprender no que ocorre do outro lado da vida.

Os cristãos primitivos tinham o conhecimento e fé neste dogma, que possibilitou suas renuncias pessoais, pelo perigo que corriam sendo seguidores do Cristo, e lá estava suas fé, numa outra vida, e que foi distorcido com o tempo pela igreja romana. E o espiritismo como a terceira revelação, veio para isso. Desvencilhar este mundo e suas leis e principalmente exclarecer !

Autor: Valter J.Amorim


Postagens Relacionadas :

O Céu Cristão ou Colônias Espirituais Segundo a Bíblia e as Tradições Cristãs

A Polêmica da Ressurreição de Cristo e o Seu Reino Celestial

O Mito do Arrebatamento de Corpos ao Paraíso

Os Sete Céus dos Cristãos e o Rumo á Ascensão

2 comentários:
  1. É tão claro,mas a alienação ainda é grande....mas..... faz parte

    ResponderExcluir
  2. Alma no conceito bíblico é a própria vida. "A alma que pecar esta morrerá" (Ezequiel). A alma pode morrer como diz no versiculo anterior. Não se pode confundir o conceito platônico de alma que é imortal e eterna com o conceito bíblico de alma que são totalmente diferentes. A esperança do Cristão é a ressurreição. A herética doutrina da imortalidade da alma substituiu a doutrina da ressurreição, tornando-a insignificante. Segue um link contendo um estudo profundo sobre a imortalidade da alma: http://www.mediafire.com/download/vj4yjx53cfbjubj/A+Lenda+da+Imortalidade+da+Alma.docx

    ResponderExcluir

Fica-se aos leitores cientes de que algumas postagens, principalmente do Administrador, Valter J.Amorim, estão sujeitas á alterações ou atualizações, de informações !