Digite seu E-mail:

Assine o Feed

A Confissão de Jerônimo e a Adulteração da Bíblia cristã

São Jerônimo BIBLIA

A Confissão de Jerônimo !

São Jerônimo, o compilador da bíblia cristã, em sua confissão famosa declara que fez adulterações na bíblia cristã, a mando do Papa Damaso.”

“Obrigas-me fazer de uma Obra antiga uma nova... da parte de quem deve por todos ser julgado, julgar ele mesmo os outros, querer mudar a língua de um velho e conduzir à infância o mundo já envelhecido.

Qual, de fato, o douto e mesmo o indouto que, desde que tiver nas mãos um exemplar, depois de o haver percorrido apenas uma vez, vendo que se acha em desacordo com o que está habituado a ler, não se ponha imediatamente a clamar que eu sou um sacrílego, um falsário, porque terei tido a audácia de acrescentar, substituir, corrigir alguma coisa nos antigos livros?

(Meclamitans esse sacrilegum qui audeam aliquid in verteribus libris addere, mutare, corrigere).

Um duplo motivo me consola desta acusação. O primeiro é que vós, que sois o soberano pontífice, me ordenais que o faça; o segundo é que a verdade não poderia existir em coisas que divergem, mesmo quando tivessem elas por si a aprovação dos maus".

(Obras de São Jerônimo, edição dos Beneditinos, 1693, t. It. Col. 1425).

A adulteração da Bíblia Cristã

Esta fala deveria ser uma das expressões verbais mais bombásticas e poderosas de todos os tempos.

Papa damaso bíblia

 Papa Damaso

Essa é uma das maiores fraudes religiosas de todos os tempos, quando se tratamos da fé de muitos cristãos que ao longo dos séculos confiaram na igreja como a pedra fundamental de Cristo na terra.

Esse verso acima citado não é nada mais JERÔNIMO, o copiador da bíblia cristã, confessando em um de seus escritos particular, que adulterou os escritos originais, confiscados dos primeiros cristãos primitivos da época.

Para entendermos essa história e a importância dos fatos, faremos aqui um resumo da história da igreja Roma e primitiva, para que possam entender.

Roma e as Primeiras Igrejas

Após a morte de Jesus, os cristãos começaram a pregar pelo mundo, e em grande parte no solo romano, onde foram muitos prosseguidos e mortos nesta época. Nero foi um exemplo destes que sobre o poder romano, cometeu atrocidades com os cristãos.

Roma com o tempo por não conseguir controlar a expansão da fé cristã, resolveu tirar proveito disso, primeiro com a conceição da livre expressão popular em suas crenças determinando a fé dos cristãos como religião oficial.

Nesta época existiam várias ideias entre os cristãos, caracterizando por partidos divididos, como existe hoje em dia, em 325 Roma por seus bispos e clero decidi criar o primeiro concilio da história; o de Nicéia; nela se deu qual dos livros deveriam fazer parte do novo testamento.

Alguns grupos que não não apoiaram este concilio foram, perseguidos, mortos e trucidados; como no caso dos gnósticos.

Pedro - O primeiro Papa

Depois de Níceia, houve o Concílio de Roma em 382 d.C., O Papa Dâmaso I montaria a primeira lista de livros da Bíblia, Ele pediu a São Jerónimo que produzisse um texto confiável e consistente, traduzindo os textos originais em grego e hebraico para o latim. Esta tradução ficou conhecida como a Bíblia Vulgata Latina, antes disso havia grande confusão e divergência sobre os textos bíblicos a serem aceitos pelos cristãos e, em 1546, o Concílio de Trento a declarou como a única Bíblia autêntica e oficial no rito latino da Igreja Católica.

Deveria ser, também, a mais importante confissão de toda história da humanidade, pois é a fala de, ninguém menos, Jerônimo, o compilador da bíblia cristã, admitindo com sua própria boca e mãos (já que escreveu a confissão) que ADULTEROU a bíblia a mando do chefe maior da sua igreja, o Papa. Chamado a Roma pelo Papa Damaso, Jerônimo tornou-se secretário particular deste e recebeu do mesmo a incumbência de traduzir os escritos hebraicos e gregos que compunham o cânon bíblico para o latim.

Séculos mais tarde, o mundo religioso cristão entra em polvorosa por causa de outro Papa, Joseph Alois Ratzinger ou apenas Papa Bento XVI, que emitiu um documento afirmando que, até pode haver expressões religiosas que agradem a Deus, mas a única, exclusiva e verdadeira religião “de Deus”, é a católica e ponto final.

Após publicar esse documento, o Papa Bento XVI fez tremer a base do cristianismo que hoje é ocupada por católicos, evangélicos e outras religiões, que adotam o Cristo como coluna principal. Mas, para a ira de todas as religiões cristãs do mundo, o papa está coberto de razão.

Realmente, a única, verdadeira e exclusiva religião de Deus existente entre os homens é a religião católica e é ilógico até discutirmos o assunto, já que foi a igreja católica que criou o Deus cristão que conhecemos e não o contrário.

Partindo do princípio que Jerônimo, o doutor da igreja e santo canonizado não mentiu, ele próprio fez uma tradução bíblica de acordo com as vontades, mandos e desmandos do seu chefe e chefe da sua igreja e não, em sintonia com a verdade real dos escritos hebraicos e gregos.

Será mera coincidência que somente após as traduções bíblicas de Jerônimo a igreja instituiu os dois maiores e mais poderosos dogmas de fé para a leitura das escrituras: que as mesmas só podem ser lidas em seu estrito sentido literal e que todas as suas letras foram revelações do próprio deus?

Aqui cabe uma pergunta: qual deus?


Postagens Relacionadas :

Qual é a Bíblia Verdadeira, Católica ou Protestante ?

A Bíblia e o Livro de Enoch - QUEM COPIOU DE QUEM?

Estudos dos originais em grego e hebraico mostram que a bíblia nunca condenou a homossexualidade

A Besta do Apocalipse – A Verdade !

Postagem mais recente Voltar-Este é o último post.
0 comentários:
Postar um comentário

Fica-se aos leitores cientes de que algumas postagens, principalmente do Administrador, Valter J.Amorim, estão sujeitas á alterações ou atualizações, de informações !